LICENÇAS AMBIENTAIS
Lideranças de Sorriso recorrem à Sema por segurança jurídica na descentralização dos serviços ambientais
Publicado em: 28/09/2017 ás 16:41:00 Por:
Foto da Noticia

Uma alteração no Termo de Cooperação Técnica firmado entre a prefeitura de Sorriso e a Secretaria de Estado de  Meio Ambiente (SEMA) para concessão de licenças, foi tema de uma reunião entre o gestor da pasta, o vice-governador Carlos Fávaro e o prefeito Ari Lafin, que estava acompanhado pelo deputado Dilmar Dal’ Bosco e representantes do setor produtivo. De acordo com as lideranças, houve redução na competência municipal, gerando insegurança jurídica aos produtores.

 

Lafin explica que a retração dos limites para a emissão de licenças poderá impactar negativamente as atividades produtivas, uma vez que na última década a prefeitura desburocratizou o acesso a essa documentação, gerando aumento expressivo na produção local, sem que houvesse prejuízos ao meio ambiente ou reclamações significativas por parte do Ministério Público ou órgãos fiscalizadores.

 

 

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Sardi Trevisol,  a emissão de licenças de baixo e médio impacto ambiental  pela prefeitura é concedida  desde o ano 2006, nesse período o órgão Sorrisense  fez a aquisição de veículos, equipamentos e concurso público para contratação de  mão de obra humana qualificada, como geólogos e engenheiros de diversas áreas, com nivelamento profissional idêntico ao oferecido pelo Estado.

 

“Entre as alterações de limites para concessão de licenças ambientais destacam-se as autorizações para piscicultura, atividade onde Sorriso ocupa a segunda colocação no rancking nacional, e a irrigação, já somos uma área de transição, onde o plantio irrigado é fundamental  para o sucesso da nossa produção. No termo anterior não havia restrição para concessão de documentos, que agora passou a ser de 500 hectares. Tememos que a burocracia e a necessidade de deslocamento até a capital reduzam o interesse de nossos produtores”, manifestou Sardi.

 

Diante da inexistência de reclamações dos órgãos de fiscalização ambiental, comprovadas pelas autoridades de Sorriso, Fávaro se comprometeu em, no prazo máximo de 30 dias, readequar a delegação dos limites municipais  até 1.000 hectares, onde, de acordo com o Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) é necessário a emissão de EIA/RIMA (Estudo de Impacto Ambiental/ Relatório de Impacto Ambiental), sendo de competência exclusiva da Sema.

 

O vice-governador comprometeu-se ainda em  prorrogar para quatro anos a validade do Termo de Cooperação Técnica, que hoje está restrito ao período de 24 meses. Também estiveram presentes à reunião o secretário executivo da Sema  André Baby, a secretaria adjunta de Licenciamento Ambiental, Mauren Lazaretti. Representando o setor produtivo de Sorriso estavam  Gean Bavaresco,  Thiago Stefanel e Nodimar Corrêa, alémj do procurador municipal,  Edmauro Dier.